segunda-feira, 6 de julho de 2009

A brincar aos médicos (literalmente)

Entrei agora em época de brincar aos médicos, que é como quem diz, estou em estágio.
Tenho um horário pesadíssimo de 4 horas por dia (tadinha de mim que nem sei como vou aguentar esta carga horária), num serviço muito calminho, desde que não entre ninguém com gripe A pelas portas adentro.
Este primeiro dia foi um espectáculo. Tenho um cacifo só para mim, passeio-me pelo hospital de bata branca e estetoscópio ao pescoço qual gente grande da Anatomia de Grey, todos os doentes e visitas se dirigem a mim como senhora doutora e eu quase me rebolo a rir no chão (mas não os engano, explico logo que estou no primeiro aninho e que qualquer empregada da limpeza do serviço sabe mais de prática clínica do que nós).
Passo o dia (aquelas 4 horas mais rápidas do mundo) a correr atrás da enfermeira que coitada me tem de aturar a fazer 2000 perguntas por minuto (eu não tenho culpa que nas aulas não nos expliquem o que é um tubo de Mayo (não faço ideia se se escreve assim) nem que ninguem nos tenha dito que a Colchicina serve para o mesmo que o Allopurinol).
Já conheço os pacientes quase todos da unidade pelo nome e causa de internamento. Já deu para ver um bocadinho de tudo, até uma rapariga da minha idade que levou um tiro que atravessou o pulmão todo, entrou pelo peito e saiu pelas costas. Já vi doentes terminais e doentes que não querem ir para casa apesar de já estarem bons e até conseguem piorar de propósito só para não terem de ir para casa porque lá ficam sozinhos.
E isto ainda é só o primeiro dia.

2 comentários:

É a Hora! disse...

Sra. doutora! Tenho uma dor!

Alexandra disse...

E já viste mais do que eu!!!