quarta-feira, 29 de outubro de 2008

E o prémio de melhor e mais forte palavra vai para:

AMAR

do Lat. amare

v. tr.,

ter amor a;
gostar muito de;
desejar;
escolher;
apreciar;
preferir;

v. int.,
estar apaixonado.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Dúvida existencial

Até que ponto é que uma coisa completamente errada mas que sabe e faz tão bem está completamente errada?

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Autobiografias

Discutiam-se autobiografias. A verdade é que todas (quase todas) as que lemos eram bastante interessantes, todas elas cheias de pormenores escondidos por detrás de cada palavra. Cada frase contava um episódio, um momento, um sentimento… a autobiografia não era mais do que um somatório de todas estas imagens que nos eram passadas. Se eu fizesse uma autobiografia teria por certo umas 200 páginas (e ainda tenho tão poucos aninhos…) e até que sou bastante objectiva! Por lá passariam imagens felicíssimas, momentos inesquecíveis passados sozinha e outros acompanhada. Imagens não tão felizes, de perdas, de lágrimas, de dor… sozinha e na maior parte das vezes acompanhada. Haveria muitas imagens, cada uma de seu tipo, mas todas elas, inclusive as relativas aos meus sentimentos, seriam bastante claras e objectivas. Praticamente telegramas. O dia de hoje, seria muito provavelmente a primeira imagem desfocada, o primeiro parágrafo (capítulo?) que nem eu conseguiria entender quando lesse porque não é de todo claro.
Preciso de tempo para pensar…

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Annie Hall

"I thought of that old joke, y'know, the, this... this guy goes to a psychiatrist and says, "Doc, uh, my brother's crazy; he thinks he's a chicken." And, uh, the doctor says, "Well, why don't you turn him in?" The guy says, "I would, but I need the eggs." Well, I guess that's pretty much now how I feel about relationships; y'know, they're totally irrational, and crazy, and absurd, and... but, uh, I guess we keep goin' through it because, uh, most of us... need the eggs."

E hoje estou assim...

Have you ever reached a rainbow's end
And did you find your pot of gold
Ever catch a shooting star
then tell me how high did you soar
Ever felt like you were dreaming
Just to find that you're awake
and the magic that surrounds you
can lift you up and guide you on your way


E é bom... Muito bom...

Publicidade

Eu sei que era suposto pôr aqui textos bem escritos ou engraçados ou pelo menos interessantes, mas por falta de tempo, inspiração e paciência desta vez vim aqui só mesmo para fazer publicidade.
As Pataniscas Eléctricas estão a participar num concurso da RedBull em que têm desde Madrid a Paris sem dinheiro nem cartões... Apenas com latas de RedBull para a troca!! Curiosamente ganha quem tiver o maior número de apoiantes e acompanhantes.
Por isso peço-vos pf: VISITEM O SITE http://redbullcanyoumakeit.com/wp/por003/ a visita já ajuda....mas se puderem torná-los vossos fans através do registo era óptimo!!

Deixo-vos o video que eles fizeram.


Obrigada!

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Frases da semana II

"Ser pessoa é construir uma máquina de emissão de singularidade."
"A nossa identidade é sempre construida em sociedade"

Prof. Nuno Nabais

Às vezes...*

Às vezes tenho tanta tanta tanta mas tanta vontade de me deixar levar... vontade de poder por um momento parar o jogo, fazer o que quero e o que bem me apetece e não sofrer consequências quando voltar a carregar no play. Pena que nunca consiga parar o jogo.

*ou esta última semana em muito poucas palavras

sábado, 4 de outubro de 2008

Frases da semana

"A competência é a ponte entre o conhecimento e a acção."
"Informação não é conhecimento e conhecimento não é sabeboria."
"A ética é a história das minhas inquietações."

Prof. António Lobo Antunes

Síntese da Semana

O problema de passar muito tempo sem cá vir é que depois tenho muito que escrever. Esta semana começaram as aulas (e sim, foram aulas a sério. As praxes eram só depois das aulas). Começámos logo a correr com um curso de introdução geral ao corpo humano e demos nada mais nada menos que TODOS os sistemas do corpo humano. O número de alunos ficou logo reduzido a metade no final da semana (acredito que depois voltem). Depois, tivemos duas palestras com Professor António Lobo Antunes (neurocirurgião daqueles que são mesmo mesmo mesmo mesmo mesmo prós). Uma delas foi sobre ser médico na actualidade. A outra foi sobre a medicina na arte, onde passámos a aula toda a ver desenhos de Da Vinci, Picasso, desenhos de livros antigos de anatomia… foi excepcional! O professor diz que vai disponibilizar o Power Point, por isso depois deixo aqui algumas das obras.
Vamos ter uma disciplina (ou cadeira, como quiserem), na qual vamos visitar crianças desfavorecidas, prisões, idosos abandonados, famílias que necessitem de apoio, instituições que fazem reintegração de deficientes na sociedade… tudo isto para desenvolver nos futuros médicos uma componente humana e emocional mais forte (é ou não é a melhor faculdade de medicina?)
Além das aulas, o convívio também foi do melhor. Conheci gente do Porto, do Algarve, da Madeira, dos Açores, de Lisboa, de Sintra… Há de tudo por lá. Até agora tenho a dizer que a impressão geral sobre os colegas é muito positiva. São simpáticos e prestáveis. Até os mais velhos, quando não nos estão a praxar, são bastante atenciosos. Lá na faculdade há o hábito de arranjar tutores (do 2º ano) para os alunos do 1º ano. A minha tutora é cinco estrelas e vai emprestar-me os livros e apontamentos todos dela, o que é uma GRANDE ajuda.
As praxes foram o habitual. Pintaram-nos as unhas e a cara, obrigaram-nos a ficar de 4 e de 3 (leia-se, só joelhos e cabeça no chão). Cantámos músicas bastante ordinárias por Lisboa mas também bastante divertidas. Fizemos o Haka e cantámos o “Menina estás à janela” para as pessoas que jantavam nas varandas dos restaurantes. Não podíamos olhar os nossos doutores de praxe nos olhos (regra número 1 dos caloiros, mas que me fartei de quebrar. Não tenho culpa que o rapaz tivesse uns olhos verdes do tamanho de uma bola de matraquilhos! “Caloira Joana, de 4 já!”)
Na 4ª feira fomos angariar dadores de medula. Sem grande sucesso, diga-se de passagem porque julgo que 99% das pessoas que ficaram convencidas foram caloiros que se auto-convenceram a ser dadores (melhor do que nada, certo?) Quando tiver um bocadinho mais de tempo ponho aqui as informações sobre transplantes de medula (pode ser que ainda consiga convencer algum visitante deste espaço).
Na 5ª à noite houve jantarada e festa. Música ao vivo. Tocou-se músicas dos Xutos, Quim Barreiros, O Fado do Estudante (indispensável)… Foi uma noite memorável. O convívio foi excelente. Dançámos, cantámos, gritámos e no dia seguinte às 9:30 da manhã já estava tudo na faculdade prontinho para dar o sistema urinário!
Gente aplicadinha, não?